XII FINANCIES APRESENTA: EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA

20 a 22 de novembro de 2019, Curitiba/PR

Notícias

XII FinancIES vai discutir “Educação Empreendedora”

A universidade empreendedora, as melhores práticas no segmento da educação superior e seus impactos para a gestão financeira serão discutidos no XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES), que acontecerá de 20 a 22 de novembro de 2019, na Pontifícia Universidade Católica (PUCPR) de Curitiba, no Paraná.

“O FinancIES se consolidou ao longo destes 12 anos como o maior evento para executivos financeiros e traz o que há de mais novo em gestão financeira para as IES brasileiras. A participação é importante para estar antenado com o que acontece no mercado no aspecto financeiro da gestão das IES”, explica Jeferson Vinhas, presidente do Fórum e CFO da UniCesumar.

Nesta edição, a programação traz novidades como a mesa redonda reunindo CFOs de seis SAs com ações na bolsa do Brasil e Estados Unidos. “Se confirmadas todas as presenças será a primeira vez que os CFOs se reúnem para discutir seu papel na gestão financeira das instituições e os impactos deste mercado”, destaca Vinhas.

Haverá ainda painéis inéditos com diferentes visões. “Também pela primeira vez, teremos a Hoper e Atmã, juntas no palco, além da presença de EduTech's, pessoas que pensam em soluções financeiras por meio de startups para as IES. Para o terceiro dia, preparamos visitas técnicas a quatro indústrias, porque é importante que o financeiro tenha visão de outras empresas para ajudar na gestão de seu negócio”, completa o presidente do FinancIES.

Além do tema central, educação empreendedora, com uma visão sistêmica de como a instituição pode se reinventar a cada dia, o Fórum vai abordar captação, retenção, cenário, mercado, economia e governança, com membros de conselhos de administração.

A expectativa de público, segundo Vinhas, segue a tendência de crescimento anual do evento. “A ideia é sempre que um FinancIES seja maior que o outro. Tivemos 250 pessoas, no ano passado, em Fortaleza, e agora pretendemos chegar a 300 participantes, em Curitiba”, revela.

Polo gerador de discussões técnicas de gestão, de estratégias para os desafios comuns da atualidade e de oportunidades de negócios, o FinancIES consagra-se como exemplo de sucesso compartilhado e une os executivos de instituições de ensino superior de vários estados brasileiros durante todo o ano na Rede FinancIES.

A extensa programação do evento conta com palestras, dinâmica de grupo, mesa redonda, apresentação de painéis e cases de sucesso, momento cultural, almoço com líderes da educação superior e outras atividades com o objetivo de proporcionar a troca de conhecimentos e de experiências entre os representantes das IES.

Reitor da PUCPR destaca importância do XII FinancIES

O reitor da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Waldemiro Gremski, anfitrião do XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES), destaca a importância de sediar o evento que reunirá gestores de IES de todas as regiões do País na discussão de temas da atualidade, de 20 a 22 de novembro, em Curitiba.

Ele participará da abertura da programação, no próximo dia 20, às 9 horas, quando falará com os participantes sobre os desafios do ensino superior. “Hoje temos uma visão totalmente voltada para a qualidade, só que ela, evidentemente, depende da sustentabilidade e temos que pensar neste binômio. A tendência é adotar uma forma de administrar as finanças seguindo o que as melhores empresas fazem. Isso somado a outro complexo que justamente tem que ser interdependente com o aspecto financeiro porque, não há como ter sustentabilidade financeira sem captação do cliente. E para captar cliente temos que nos adequar a ele em termos de TI. É preciso ter uma TI moderna, digitalizar totalmente a IES e isso será indiretamente um fator financeiro de fundamental importância, por isso exige planejamento estratégico. As questões financeiras e acadêmicas devem ser conciliadas”, destaca Gremski, que também é presidente do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (Crub), com sede em Brasília (DF).

Ainda segundo o reitor, o investimento no corpo docente também merece atenção especial. “Tenho 1,3 mil professores que, logicamente, são a ponta de lança que fará com que o aluno continue na universidade, atraia outras pessoas, divulgue o nome da instituição de ensino e, para isso, também são fundamentais financeiramente, porque levam aos alunos nosso propósito, fazendo com que toda a comunidade tenha o mesmo. O estudante tem que amar a instituição”, ensina.

Na opinião de Gremski, sediar o FinancIES vem ao encontro da proposta da PUCPR para adotar as inovações exigidas pelo mercado. “É uma honra fazer parte destes momentos de discussões que serão enriquecedores, em especial para as IES, que formam pessoas e preparam mão de obra para o mercado cada dia mais exigente e menos previsível. Sediar um evento como este nos traz muita informação e indicações para onde a universidade deve caminhar, a que áreas se dedicar, assim como quais atitudes adotar para tornar os alunos realmente preparados. O FinancIES é uma instituição que exatamente está pensando nesta área com foco para as IES de ensino superior, já que congrega uma grande e importante comunidade que representa instituições em nível nacional. É uma grande honra estarmos presentes neste ambiente de trabalho”, avalia.

XII FinancIES terá plenária sobre “O FIES atual e o FIES legado”

A discussão sobre o atual FIES (Fundo de Financiamento Estudantil), do Ministério da Educação (MEC), e o FIES legado, que começará a ser cobrado em breve retirando de muitos a totalidade do repasse mensal, será um dos pontos altos da programação do primeiro dia do XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES), que acontecerá de 20 a 22 de novembro na Pontifícia Universidade Católica (PUCPR) de Curitiba, no Paraná.

O evento paralelo será realizado às 15 horas do dia 20 de novembro, com a participação de Edson de Jesus Jinkings Junior, gerente de Clientes e Negócios da Caixa. A coordenação dos trabalhos será da presidente da Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup), assessora institucional do FinancIES e membro titular do Conselho de Participação do Fundo Garantidor do FIES., Elizabeth Guedes.

Ao final, o objetivo é assinar a “Carta de Curitiba”, para encaminhamento ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, e ao ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

A extensa programação do evento conta com palestras, dinâmica de grupo, mesa redonda, apresentação de painéis e cases de sucesso, momento cultural, almoço com líderes da educação superior e outras atividades com o objetivo de proporcionar a troca de conhecimentos e de experiências entre os representantes das IES.

Dinâmica de grupo do XII FinancIES revela soluções empreendedoras

A dinâmica de grupo do XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES) será um exercício para que os participantes desenvolvam soluções garantindo que a atitude empreendedora aconteça em suas IES. O evento acontecerá de 20 a 22 de novembro de 2019, na Pontifícia Universidade Católica (PUCPR) de Curitiba, no Paraná. “Eles serão desafiados a criar processos e estruturas com criatividade, agilidade e focados em resultados frente ao ambiente de transformação do ensino superior”, explica o vice-reitor da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (Fecap), Taiguara Langrafe, que comandará a atividade.

Ele acrescenta que a ação contará com métodos ágeis de proposição de soluções, tecnologia educacionais e de gestão, além de novos paradigmas do ensino superior. “A dinâmica é focada na experiência dos participantes, em suas visões de futuro e na proposição de soluções para as suas IES. Esperamos que seja uma fonte de inspiração e ideias para que as IES dos participantes tornem-se mais empreendedoras e atinjam seus objetivos”, destaca.

Na avaliação do vice-reitor da Fecap, o Fórum reúne pessoas competentes do setor educacional para a troca de experiências e provê inúmeras oportunidades de aprendizado e networking. “O FinancIES, em particular, destaca-se por atualizar os executivos financeiros das IES privadas quanto aos principais assuntos do setor, sejam gerais ou específicos, por pessoas que praticam o dia a dia do ensino superior”, completa Langrafe.

Carlos Alberto Decotelli participará de painel e plenária no XII FinancIES

O professor Carlos Alberto Decotelli, ex-presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), e atual coordenador acadêmico do MBA Finanças na Fundação Getúlio Vargas, vai integrar o time de palestrantes do FinancIES 2019, que acontece de 20 a 22 de novembro na PUCPR, em Curitiba.

Decotelli participará do painel "Os Desafios do CFO na Gestão Financeira das IES SAs., ao lado do CFO do Grupo Ânima e vice-presidente do FinancIES, André Tavares; do CFO do Grupo Ser Educacional, João Albérico Aguiar; da presidente da Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup) e assessora institucional do FinancIES, Elizabeth Guedes; e do sócio-diretor da Educa-Insights, Luiz Trivelato, no primeiro dia da programação (20 de novembro), às 9h30.

No mesmo dia, à tarde (15 horas), Decotelli marcará presença na plenária "O FIES Atual e o FIES Legado", que também contará com a participação do gerente de Clientes e Negócios da Caixa Econômica Federal, Edson de Jesus Jinkings Junior, sob a coordenação de Elizabeth Guedes, presidente da Anup. Ao final da atividade, o objetivo é assinar a Carta de Curitiba para encaminhamento ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, e à Casa Civil.

O ex-presidente do FNDE destacou a importância do Fórum. "O FinancIES é um evento anual muito importante porque contribui para a discussão de temas da atualidade, como a consolidação da securitização na Economia 5.0", avalia Decotelli.

Pós-doutorado pela Bergische Universität Wuppertal, na Alemanha, ele concluiu os créditos de doutorado em Administração pela Universidade Nacional do Rosário (Argentina) e é mestre em Administração pela FGV-Ebape e MBA em Administração pela FGV-Ebape-EPGE. Formou-se bacharel em Ciências Econômicas pela UERJ. É um dos autores dos livros editados pela editora FGV: "Matemática Financeira Aplicada", "Gestão de Riscos no Agronegócio", "Administração Bancária - uma Visão Aplicada" e "Gestão de Finanças Internacionais". Já atuou como executivos em bancos e corretoras do mercado financeiro.

XII FinancIES abordará política de captação de receitas alternativas

A política de captação de receitas alternativas da Universidade do Vale do Taquari (Univates) será apresentada pelo pró-reitor administrativo Oto Roberto Moerschbaecher, no XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES), na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), em Curitiba. Ele participará do “Painel sobre Dicas e Experiências de Inovações na IES”, ao lado de Renato Osvaldo Bretze, founder de 02 Startups, no dia 20 de novembro. A programação do evento prossegue no dia seguinte (21/11).

“Atualmente, os maiores desafios das instituições de ensino superior são se adaptar à nova realidade tecnológica do processo de ensino e aprendizagem e encontrar fontes de financiamento estudantil que sejam viáveis economicamente à capacidade de pagamento dos alunos”, explica o pró-reitor.

Ele destaca que eventos como o Fórum proporcionam a construção de relações pessoais e institucionais que permitirão, no futuro, estabelecer intercâmbio de boas práticas administrativas e pedagógicas. “O FinancIES é fundamental para o desenvolvimento dos mais diferentes aspectos das instituições privadas de ensino superior”, conclui .

XII FinancIES discute desafios do CFO na gestão financeira das IES SAs

Desafios como as constantes mudanças na matriz de ensino superior, com forte entrada do ensino a distância e do semipresencial, que ganha mais espaço usando metodologias ativas para facilitar essa integração, paralelamente à derrocada do financiamento público da educação superior e ao ambiente competitivo no quesito preço fazem parte do dia a dia das instituições de ensino superior do País.

A adaptação a esse novo cenário, mantendo a geração de rentabilidade e o crescimento, sem prejudicar a qualidade do ensino, será discutida pelo CFO do Grupo Ser Educacional, João Albérico Aguiar, no XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES), na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), em Curitiba.

Ele participará do painel “Os Desafios da CFO na gestão financeira das IES SAs”, no primeiro dia do evento (20/11), às 9h30, ao lado do CFO do Grupo Ânima e vice-presidente do FinancIES, André Tavares. A mediadora será a presidente da Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup) e assessora institucional do FinancIES, Elizabeth Guedes. A programação do evento prossegue no dia seguinte (21/11).

O CFO do Grupo Ser Educacional também destaca que, em conexão com o tema, o debate também abordará o cenário prolongado da crise econômica, a derrocada do financiamento público e a alta concorrência. “Isso tudo forçou as IES a operarem em um ambiente adverso nunca antes enfrentado, precisando se reinventar para manter a rentabilidade sem perder o nível de qualidade do serviço”, avalia.

Aguiar destaca ainda que eventos como o FinancIES ajudam no dia a dia das IES, assim como as contribuições às associações de classe, como a Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), além de discussões e interações pontuais com os CFOs das demais instituições, principalmente das maiores do Brasil, que acabam sendo modelo para as demais. “O FinancIES é muito importante, pois provê conhecimento e promove interação, abordando temas relevantes e atuais para o desenvolvimento do setor”, conclui.

O Grupo Ser Educacional é uma empresa de capital aberto no setor de educação, dona das marcas Uninassau, Uninabuco, Maurício de Nassau, Joaquim Nabuco, Univeritas, UNG e Unama. Aguiar responde pela gestão estratégica da área financeira, abrangendo controladoria, tesouraria estratégica, compliance tributário e riscos corporativos, com report direto à presidência e ao conselho de administração da companhia.

XII FinancIES aborda parcerias entre empresas e universidades

As instituições de ensino superior devem apostar em parcerias com empresas, novas tecnologias e busca constante pela inovação. A afirmação é do head Brasil de consumer eletronics da Bose, Alexandro de Azevedo, que falará sobre o tema “Sonhe e Alcance (Case Bose e Mit)”, no painel “Benchmarking Internacional”, no primeiro dia da programação do XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES), agendado para 20 a 22 de novembro, na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), em Curitiba.

“Pretendo mostrar como a parceria entre empresas e universidades podem render bons frutos para ambos, bem como para a sociedade como um todo. Com o advento da internet e principalmente dos smartphones está cada vez mais difícil captar e reter alunos em sala de aula pelo método convencional que sempre fomos acostumados. Hoje, o crescimento do EAD demonstra claramente isto e acredito que o uso massivo da tecnologia em sala de aula pode auxiliar na retenção e atenção dos alunos. Ter foco e visão no desenvolvimento de novos cursos que irão preparar as novas gerações para as profissões do futuro também é um fator-chave para buscar o crescimento em tempos de mudança”, explica Azevedo.

Na opinião do profissional, o Fórum provoca a reflexão e o compartilhamento de novas práticas que sem dúvida podem auxiliar os participantes a buscarem soluções para os problemas e desafios encontrados no dia a dia das instituições de ensino. “Eventos como o FinancIES promovem o crescimento e a discussão do que podemos fazer melhor para crescermos como instituições e também de forma a oferecer mais para a sociedade, pois ‘para sermos melhores, temos que ser diferentes’, segundo o Dr. Amar Bose”, enfatiza.

XII FinancIES mostra história de empreendedorismo da Hershey´s

Os participantes do XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES), que acontecerá de 20 a 22 de novembro, na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), em Curitiba, terão oportunidade de acompanhar o painel “Benchmarking Internacional”, com o general manager Brazil & LatAm da The Hershey´s Company, Marcel Sacco. Ele vai apresentar o tema “Milton Hershey: Uma História de Empreendedorismo com Forte Impacto Social (Case Hershey´s).

“Meu objetivo é compartilhar como a Hershey´s tem construído seu sucesso ao longo de 125 anos baseada em valores sólidos, muitos deles ligados ao que hoje se chama de capitalismo consciente. mas que no nosso caso faz parte de nossa história há 100 anos. Quero mostrar como o propósito de um negócio/marca é fundamental para seu sucesso junto aos consumidores e clientes e como gera engajamento do time de funcionários”, explica o palestrante, que participará do evento no primeiro dia da programação, dia 20 de novembro, a partir das 17:45, ao lado do head Brasil de consumer eletronics da Bose, Alexandro de Azevedo, que falará sobre o tema “Sonhe e Alcance (Case Bose e Mit)”.

Na avaliação de Marcel Sacco, atualmente o maior desafio das instituições de ensino superior é se manterem atraentes e relevantes para os alunos das novas gerações. “Eles têm demandas diferentes quanto ao formato e conteúdo que fazem parte do currículo e, ao mesmo tempo devem ser relevantes também para o mercado de trabalho, preparando profissionais mais completos, seres humanos mais holísticos, flexíveis e criativos”, enfatiza.

O profissional também destaca a importância do FinanCIES. “Todo espaço para debates e troca de ideias contribui para construção de novas abordagens, melhoria e crescimento. Conhecer melhores práticas, discutir experiências com seus sucessos e fracassos e ouvir as expectativas dos alunos e do mercado fazem com que as instituições tenham maior espectro de possibilidades para ter sucesso em suas atividades. O evento propicia espaço onde a comunidade possa discutir de maneira mais ampla alternativas para melhorar a qualidade e a relevância do ensino”, conclui.

XII FinancIES revela benefícios da governança corporativa

Desmistificar o conceito de governança corporativa e seus benefícios às empresas é o objetivo do CEO do Hospital Santa Cruz e presidente do IBEF PR, Claudio Enrique Lubascher, durante o painel “Conselheiros: Governança Cooperativa para uma Educação Empreendedora”, que será apresentado no próximo dia 21 de novembro no XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES). O evento acontecerá de 20 a 22 deste mês na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), em Curitiba.

“Quero desmistificar o conceito de governança corporativa, mostrando que é aplicável a qualquer tamanho de empresa e pode ser feito com tranquilidade e facilidade. É uma questão muito mais de vontade e pré-disposição entre acionistas e diretores para estruturar este processo. E também falar sobre os benefícios que o sistema e a estrutura de governança trazem para as empresas”, explica o profissional, que participará do painel ao lado do conselheiro, board member e ex-CEO do Grupo AENA, José Octávio de Mello, e da assessora de Capital Humano do FinancIES e CEO da S7 Consulting, Mariciane Gemin.

Lubascher vai abordar ainda a formação dos conselhos consultivo, de administração e familiar das empresas. “São avanços que podem ser feitos durante a jornada da formação do processo de governança corporativa até chegar a uma estrutura ideal”, considera, destacando a importância do evento para as instituições de ensino superior do país. “É de extrema valia para as IES pela mudança e rapidez com que o mercado está se transformando de forma ampla, também passando pelas IES, e por agregar conhecimento, debate e intercâmbio de ideias. Isso sempre é importante para os executivos de finanças, levando em conta que o papel deles hoje vai muito além do que meramente o de gestão de caixa e controladoria. Eles passam a ser estratégicos junto à administração para ajudar a definir os rumos da instituição”, avalia.

Segundo o profissional, a importância do FinancIES é justamente poder reunir de forma organizada e estruturada vários temas com pessoas que possam conversar e compartilhar conhecimentos para ajudar na formação de um conceito de ideias. “Estas outras visões do mercado de fato podem contribuir muito para os gestores educacionais para pensar os rumos de suas instituições e melhorias que possam ser implementadas nos modelos de gestão”, conclui.

XII FinancIES discute governança cooperativa para a educação empreendedora

A importância da governança e do profissionalismo nas Instituições de Ensino Superior (IES) do País será discutida no painel “Governança Cooperativa para uma Educação Empreendedora”, no XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES), que acontecerá de 20 a 22 de novembro na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), em Curitiba.

“Quando falamos em profissionalismo não quer dizer que a instituição, seja de um grupo familiar ou não, tenha que trocar seus gestores. O mais importante é a governança como um todo, ter controles implantados, independência e gestão, além de não haver conflitos de interesse entre opiniões pessoais e profissionais. As instituições na área de educação passam por um processo de consolidação e cada vez mais o profissionalismo está acontecendo. Ainda há grandes instituições nas mãos de familiares e com boa gestão, mas são importantes a inovação e o empreendedorismo que ocorrem nos grupos e caminham para a área educacional”, explica o conselheiro, board member e ex-CEO do Grupo AENA, José Octávio Mello, que participará do painel ao lado de Claudio Henrique Lubascher, CEO do Hospital Santa Cruz e presidente do IBEF-PR, e de Mariciane Gemin, assessora de Capital Humano do FinancIES e CEO da S7 Consulting.

Mello destaca as múltiplas funções ocupadas pelos profissionais no dia a dia das IES. “Principalmente nos grupos familiares, o papel do executivo se confunde com o de acionista e conselheiro. Como o conselheiro e acionista poderá avaliar certas ações do corpo diretivo e executivo se ele está no dia da dia da operação? É muito difícil. Sempre trabalhei com grupos familiares e posso dizer que conheço pessoas no executivo que não podem entrar no conselho. Como vão dar opinião e avaliar esta qualificação dos trabalhos?”, questiona.

Na opinião do palestrante, os principais desafios das IES são implantar a governança, ter independência e saber preparar a sucessão tanto de executivos ou como de membros da família. “Vou abordar isso de forma didática no painel para as pessoas entenderem como é importante a governança e isso acaba se estendendo para o compliance. Então, a governança é uma ferramenta para atingir certas metas de compliance dentro de um grupo, empresa ou IES”, acrescenta Mello.

O FinancIES, na avaliação do conselheiro, é importante para clarear estas ideias. “Principalmente neste momento que o país está vivendo, nesta virada que estamos tentando. Esta questão da governança e do compliance é um setor muito importante e não teremos bons profissionais no futuro se não estivermos olhando sempre para esta área de educação. Então, nas instituições, a questão da governança é importante e parece um tabu falar em profissionalização, mas não é e quero deixar isso muito transparente. Como tive uma carreira de auditor e de executivo, trabalhei com empresas familiares e IES, digo com segurança que é preciso ter esta governança implantada, porque dentro de um grupo que às vezes tem vários níveis de pessoas, nem sempre elas estão preparadas para aquele desafio e são donas e acionistas. Por isso essa segregação e discussão são muito importantes”, conclui Mello.

XII FinancIES traz pesquisa sobre os desafios das IES

Os principais desafios enfrentados atualmente pelas Instituições de Ensino Superior do País (IES) e o grau destas dificuldades, com base em informações estatísticas do Censo da Educação Superior (histórico e 2018) ou por pesquisas realizadas pela Hoper, serão apresentadas pelo coordenador de Mercado da Hoper Educacional, Paulo Presse, no XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES), que será realizado de 20 a 22 de novembro, na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), em Curitiba.

Ele participará do painel “O Mercado Atual da Educação Superior”, no segundo dia do evento (21/11), às 13h45, ao lado do executivo da Atmã, Romáro Davel.

Segundo Presse, os desafios das IES podem ser classificados em seis dimensões: desenvolvimento da economia; transposição demográfica do Brasil; políticas públicas para a educação; atuação dos grandes grupos educacionais; regulação do setor (MEC); e 4ª Revolução: a tecnológica. “Mas, abreviadamente, entendo que os principais são decrescimento do mercado presencial; garantia da qualidade na entrega do EaD; ostensivo cenário concorrencial do setor; recuperação das IES em crise; promoção: queda nos valores de mensalidades; crise econômica impactando na sobrevivência da IES; ter estratégias eficientes para a IES, pela modalidade EaD; e promover sustentavelmente a captação e a retenção de matrículas”, explica.

O coordenador de Mercado da Hoper destaca a importância do FinancIES, que contribui no dia a dia das IES participantes. “Pelo fato de fomentar a discussão mais aprofundada e séria sobre as problemáticas do setor, viabiliza e qualifica a melhoria da gestão das IES”, diz, acrescentando que o Fórum também proporciona um ambiente de discussão mais aprofundada sobre o setor, além de reunir os representantes das IES do País.

XII FinancIES aborda o atual mercado de trabalho da educação superior

As tendências, desafios mercadológicos e seus impactos na gestão financeira, além das novas competências exigidas ao gestor financeiro de empreendimentos educacionais, serão apresentados pelo presidente da D&D e executivo da Atmã, Romário Davel. Ele particiará do painel “o Mercado Atual da Educação Superior”, ao lado do coordenador de Estudos de Mercado da Hoper, Paulo Presse, no segundo dia do XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES), que acontecerá de 20 a 22 de novembro, na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), em Curitiba.

Davel também mostrará a análise do comportamento dos números oficiais e informações trabalhadas pela Atmã Educar, como comportamento de alunos por modalidade de ensino e cursos em crescimento e declínio. Entre os temas abordados pelo palestrante estarão ainda os novos modelos de operação como semipresencial, híbridos - seja regulado pela modalidade presencial ou EaD -; cursos tradicionais em processo de autorização via EaD, como Psicologia e Direito; mensuração do impacto na quantidade de alunos no presencial com a entrada de cursos tradicionalmente ofertados somente na modalidade presencial; composição financeira de pequenas e médias instituições; e market place e impacto na geração de receitas e mudanças no consumidor de educação superior.

O executivo da Atmã destaca que os principais desafios enfrentados hoje pelas IES são captação de alunos, ausência de crédito estudantil, inviabilizando o crescimento do setor, retração do ticket médio pressionado pelo excesso de oferta e atrelados ao market place (como Educa+, Quero Bolsa e outros); baixa capacidade de inovação e crescimento da educação informal.

Ele também enfatiza a importância do FinancIES. “A troca de experiências entre palestrantes e outros gestores contribui para o aprimoramento na gestão das instituições participantes. São muitos indicadores de desempenho comparativo e boas práticas compartilhados no evento. No Brasil, o Fórum é o mais importante em gestão financeira para instituições de educação e, sem dúvida, o que mais contribui para avançar na viabilidade econômica dos empreendimentos educacionais”, avalia.

O FinancIES está com inscrições abertas, mas as vagas são limitadas. Mais informações podem ser obtidas no site www.financies.com.br, que traz a programação completa do evento.

XII FinancIES divulga plataforma para gerar negócios nas IES

O projeto desenvolvido pelo Baltoro Group com a Unisul, em Tubarão (SC), para incubação na universidade do primeiro clube de futebol profissional startup do Brasil - o Clube Atlético Tubarão, será divulgado no XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES), que acontecerá de 20 a 22 de novembro, na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), em Curitiba.

O presidente do Clube Atlético Tubarão, Luiz Henrique Martins Ribeiro, apresentará o painel “Esporte de Alto Rendimento como Plataforma de Negócios para a IES”, ao lado do ex-atleta da Seleção Brasileira de Vôlei, Roberto Minuzzi, no segundo dia do evento (21/11), às 15h45. “É um projeto único porque se trata da conversão de um clube de futebol modelo associativo, num clube empresa, que está incubado no parque tecnológico na Unisul. Com isso, os profissionais do clube, com exceção dos atletas e alguns membros da comissão técnica, são professores, alunos ou egressos da Unisul. A Universidade é nossa parceira número um e nos dá o suporte de pessoas capacitadas para a gestão do clube, além de ter impacto social e de mídia com o cruzamento de ações sociais e inclusive de bolsas para atletas e de mídia com o Clube”, explica Ribeiro, completando que a ação começou em 2016, trazendo reflexos positivos no esporte e na comunidade e que o clube emprega diretamente 187 pessoas entre atletas e funcionários.

A plataforma, segundo o palestrante, pode ser utilizada para gerar uma série de outras oportunidades à Universidade e ao Clube, desde laboratórios, cursos ligados ao mercado do futebol, incubação de outros negócios, além do viés imobiliário com a exploração de campos e estádio de futebol (match day), bem como o engajamento de estudantes por meio de ações de voluntariado, plano de sócio torcedor especial, dentre outros.

Na opinião de Ribeiro, manter a qualidade do ensino em razão dos altos custos de manutenção, buscar novas fontes de receitas por meio da inovação e preparar os alunos para o mercado de trabalho que se projeta no futuro são os principais desafios enfrentados hoje pelas IES. “É importante que os setores produtivos e cruciais, como o da Educação, estejam conectados, conversando, conhecendo novas tendências e oportunidades de forma colaborativa. No futebol catarinense, usamos a mesma estratégia, pois mantemos nossa associação de clubes onde dizemos sempre: adversários no campo e parceiros fora dele”, enfatiza, destacando a importância do FinancIES. “É de extrema relevância, pois gera não só a conexão entre os gestores, mas também novas ideias, compartilhamento de situações e colaboração mútua, o que é tão importante nos dias de hoje”, diz.

XII FinancIES revelará experiências e inovações na IES

Como transicionar de knowledge building a skill building alavancando o alcance do digital é o assunto que será abordado por Harold Schultz Neto, head de Inovação do NRG Hub, no XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES), na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), em Curitiba. Ele participará do “Painel sobre Dicas e Experiências de Inovações na IES”, ao lado de Renato Osvaldo Bretzke, founder de 02 Startups, e do pró-reitor Administrativo da Univates, Oto Roberto Moerschbaecher, no primeiro dia do evento, 20 de novembro. A programação prossegue nos dias seguintes (21 e 22/11) e pode ser conferida no site www.financies.com.br .

“Vou falar da minha experiência com novas formas de educação, baseadas em gamefication, RPG, digital mentored learning e, principalmente, o skill building”, explica Schultz Neto.

Segundo ele, o primeiro desafio enfrentado pelas IES que chama sua atenção é entender qual a entrega final que elas propõem a seus clientes (pais e, principalmente, alunos). “Quando olhamos campanhas de marketing de escolas de ensino médio fica claro sua entrega: passar bem no vestibular. Cada uma destaca os resultados de seus clientes (primeiro lugar em Medicina, quantidade X de aprovados na faculdade Y, etc) e normalmente usando de maneira transparente seus cases de sucesso. Porém, quando fazemos esta análise nas IES, não encontramos a mesma clareza. Normalmente, elas focam em seus próprios méritos como quantidade de cursos, número de alunos, nota no MEC, tudo o que poderíamos chamar de métricas de vaidade no mundo da educação. A métrica que realmente importa é o resultado do cliente e isso não é claro”, avalia.

O palestrante destaca a importância de um modelo que gere impacto na vida dos clientes. “Ah, formamos advogados. E daí? Em um mundo que migra para inteligências artificiais que fazem análises mais assertivas, qual o sentido de continuarmos formando com o mesmo currículo do passado? ‘A pessoa pode seguir outro caminho ao longo da vida’ também não é desculpa. Qual o impacto que a educação com a IES teve? Nenhum? Então não faria sentido continuar com um modelo que não gera impacto na vida de seus clientes. No mundo que vislumbramos para o futuro, diploma parece ter cada vez menos sentido e a IES não pode ficar presa a esta única métrica (de vaidade novamente)”, alerta.

Segundo ele, este ponto não é fácil de resolver, porém quando se fala em educação empreendedora, tema do FinancIES, há algumas soluções: “Minha Alma Mater, Inatel, faz um dos melhores trabalhos de Alumni que conheço no país, muito semelhante àquele praticado por instituições dos EUA, encontros, fomento de networking, espaço próprio para o Alumni e fortalecimento da carreira. O MIT, por exemplo, sabe exatamente quem são seus Alumnis e o impacto que suas iniciativas empreendedoras têm na economia (atualmente em espantosos US$2 trilhões). Então, o primeiro desafio é como poderíamos mensurar o impacto da IES no futuro empreendedor de seus clientes/alunos?", questiona.

O segundo ponto, de acordo com Schultz Neto, está relacionado ao fim do diploma e é a transição da lógica knowledge building para skill building. “Com a mudança de era que vivemos e a aceleração tecnológica, as demandas de mercado mudaram e um novo formato de educação faz-se necessário. As IES já estão atentas à revolução digital (EAD, MOOCs etc), porém num formato muito mais ‘Netflix’ (como Coursera) do que ‘YouTube’ (como Udemy). Este último demanda um novo paradigma de administração interno. Passada a migração para o digital, que além deste paradigma sofre outras dificuldades, disciplina dos alunos, qualidade do formando, entre outros, entramos no quesito skill building. As novas organizações trabalham de maneira mais ágil e têm demandas mais urgentes que no passado, fazendo do longo período de formação da IES tradicional uma desvantagem. O profissional do futuro em ‘formato T’ vive jornada crescente de incorporação de habilidades ao portfólio e o papel da formação de ultra especialistas ficará cada vez mais restrita e distante das realidades do mercado. O segundo desafio é como poderíamos entregar profissionais de alta qualidade para o mercado em tempo mais ágil?", diz.

O palestrante também destaca a importância do FinancIES para ajudar as IES na solução destes desafios. “Através do peso de seus palestrantes, o evento traz conteúdo atual e relevante para que as IES tornem-se future-proof. O ponto que vivemos hoje é que o QA (quociente de adaptabilidade) tanto de uma organização quanto de um indivíduo é sua garantia de futuro e ninguém melhor para ‘rebolar’ do que o empreendedor (especialmente no Brasil), por isso o tema Educação Empreendedora faz tanto sentido”, analisa.

Ainda segundo Schultz Neto, o networking, aprendizado e benchmarking são os principais elementos que podem ser extraídos do FinancIES. “A pluralidade de público e representantes de diferentes indústrias amplia o repertório dos tomadores de decisão, melhorando sua capacidade criativa de solução dos problemas vindouros do mundo educacional em profunda transformação”, completa.

XII FinancIES revelará experiências e inovações na IES

O desenvolvimento de um núcleo de direção fortalecido e de bases de financiamento diversificadas nas IES a partir da inovação será a tônica do “Painel sobre Dicas e Experiências de Inovações na IES”, envolvendo Renato Osvaldo Bretzke, founder de 02 Startups, Harold Schultz Neto, head de Inovação do NRG Hub, e Oto Roberto Moerschbaecher, pró-reitor Administrativo da Univates. A programação faz parte do XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES), que acontecerá nos próximos dias 20 a 22 de novembro, na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), em Curitiba.

“A inovação é decorrente de uma situação desconfortável, preferencialmente antevista. Penso que as IES brasileiras nunca estiveram em um momento tão desconfortável. Por isso a relevância de debatermos a inovação na gestão. Deixarmos de apenas ensinar sobre inovação para aplicar a inovação”, explica Bretzke.

Ele destaca que o tema central do painel, que será apresentado no primeiro dia do evento, 20 de novembro, é a inovação na gestão. “Em algum momento terá sobreposição com as práticas acadêmicas, que são o nosso core business. Queremos trazer exemplos práticos, como o da Univates, que buscou outras alternativas de receita. Também abordar a relação com as Edtechs. Elas são ameaças ou oportunidades? Ainda, como tratar com um público jovem que perde a paciência, e com isso, a visão de longo prazo, e pensa que o ensino superior é perda de tempo... Por último, mas crucial, como fazer tudo isso em um mercado muito regulado”, destaca Bretzke.

Segundo ele, o principal desafio das IES é fazer com que seu público, mercado e a sociedade percebam o valor entregue. “É não olhar para dentro, e sim para fora. É agregar valor para o aluno, sociedade e corpo docente. É tornar a ser desejado. Mas para isso é preciso fazer uma autoanalise sobre qual valor está sendo entregue. Não devemos ser apenas certificadores de uma etapa da vida. Devemos transformar a vida de quem tem contato conosco. Isso em um cenário político conflituoso, jurídico instável, econômico com baixo crescimento, queda do poder aquisitivo, grande desemprego e subempregos, ausência de alternativas de financiamento estudantil justas e acessíveis para a maioria dos alunos potenciais, obsolescência tecnológica acelerada, ambiente legal muito regulado, queda de alunos por diversos motivos e aumento de concorrência. Mas ao mesmo tempo, nisto tudo temos oportunidades. O enxergar estas oportunidades é a saída. Sem ferida não há cura. Sem perceber as ameaças não tem como realizar inovações e alternativas”, enfatiza.

Na avaliação de Bretzke, o Financies é um evento relacional. “Visa conectar. E se tem uma área que a tecnologia demorará para atender é o desenvolvimento relacional. Às vezes ajuda, muitas vez complica, mas não substitui a relação pessoal. Sou um dos participantes mais antigos do Financies. Vi muitas mudanças na minha vida e na vida de amigos que fiz aqui. Ouso dizer que o Financies foi um divisor de águas na gestão das IES brasileiras. Por integrar instituições e gestores, compartilhar experiências, chamar a atenção para assuntos que na maioria das IES não eram considerados, por levantar muitas reflexões. O participante efetivo não volta o mesmo. Ele traz consigo toda esta bagagem que muda o seu mindset, comportamento, a forma de gerir a instituição e o dia a dia”, conclui.

Além disso, Bretzke acrescente que o Financies é um momento de fazer e rever amigos. “De aprender, ser provocado, refletir sobre como sermos melhores gestores e nossa responsabilidade no desenvolvimento da educação e da sociedade. Nos tira da zona de conforto e, se formos sábios, impulsiona para um estágio mais avançado. Todos ganhamos com isso”, aposta.

AlvesBenedito aposta em destaque no mercado jurídico durante o XII FinancIES

Na avaliação dos sócios-fundadores do escritório AlvesBenedito Advogados, Irene Alves dos Santos e Luiz Benedito, participar como patrocinadores do Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES) coloca a empresa em posição de destaque no mercado jurídico. Por isso, a presença já está garantida na edição deste ano, que será realizada de 20 a 22 de novembro na Pontifícia Universidade Católica (PUCPR), em Curitiba.

“O FinancIES é o maior fórum de executivos financeiros para instituições de ensino. Sempre participamos com a distribuição de nosso folder e ativamente no momento dedicado aos patrocinadores”, Irene Alves dos Santos, sócia-fundadora do escritório que soma mais de 20 anos de expertise no mercado advocatício.

Participante do FinancIES como patrocinador desde 2010, o escritório contabiliza resultados positivos, consolidando sua presença no evento. “A expectativa para edição, como em todas as anteriores, é alta, já que a organização se supera ano a ano”, explica.

HMI aposta em divulgação de soluções durante o XII FinancIES

Para o Honoris Meritum Institute (HMI), entidade sem fins lucrativos que acredita na cultura meritocrática nas corporações como estratégia de crescimento sustentável por meio de entregas diferenciadas, participar como patrocinador do XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES) é ter o privilégio de expor sua marca como parceira que oferece soluções voltadas às principais IES brasileiras, tomadoras de decisão. O evento acontecerá de 20 a 22 de novembro na Pontifícia Universidade Católica (PUCPR), em Curitiba.

Segundo Mariciane Gemin, co-fundadora do HMI e assessora de Capital Humano do FinancIES, a entidade estará com estande durante o evento distribuindo folderes sobre seus produtos e marca, além de brindes dedicados ao público-alvo do Fórum, formado por gestores financeiros de IES de todas as regiões do País.

Estreante como patrocinador do FinancIES, o HMI revela a expectativa positiva para o Fórum. “Esperamos que o evento gere bons relacionamentos para negócios futuros”, diz Mariciane, destacando que a entidade tem como missão promover o mérito em todos os níveis hierárquicos por meio de eventos, pesquisas, troca de experiências, intercâmbio colaborativo, estimulando debates das melhores práticas em diversos segmentos econômicos. “Implantamos a meritocracia nas empresas porque acreditamos que devemos remunerar diferente as entregas diferenciadas”, conclui Mariciane.

Cobrafix destaca geração de negócios no XII FinancIES

A geração de negócios durante e pós-evento leva a Cobrafix, empresa especializada em cobrança educacional, a participar anualmente como patrocinadora do Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES). A edição deste ano será realizada de 20 a 22 de novembro na Pontifícia Universidade Católica (PUCPR), em Curitiba.

“Participar do evento nos faz entender o que podemos elaborar em planejamento e estratégias com as instituições de ensino para seus resultados. No nosso estande de atendimento aos congressistas, conseguimos detalhar um pouco do que somos e a entrega do nosso folder no kit do evento desperta a procura para mais informações”, destaca Caio Raya, diretor executivo da empresa.

Ele também destaca a importância do Fórum. “Acredito que o FinancIES gera negócios, pois reúne pessoas de decisão. É um evento relevante no conteúdo e participantes”, avalia.

Há 43 anos no mercado, o Grupo Cobrafix atende ao mercado que dia a dia busca tecnologia, inovação, produtividade e gestão de pessoas, além de dedicar-se à redução dos índices de inadimplência de seus clientes.

Seguridade prospecta clientes no XII FinancIES

Patrocinadora desde o primeiro Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES), realizado em 2007 na cidade de Florianópolis (SC), o Grupo Seguridade marcará presença na 12ª edição, agendada para os dias 20 a 22 de novembro, na Pontifícia Universidade Católica (PUCPR), em Curitiba.

“Participar do Financies como patrocinador nos coloca em contato direto com grandes grupos de ensino de todo o Brasil, que têm potencial para se tornarem nossos clientes”, destaca Pedro Ambrosio, presidente da Seguridade, destacando que a empresa estará com um estande de tiro no local, distribuição de folderes e equipe de vendas.

Acompanhando a evolução do Fórum desde sua estreia, ele destaca a maior adesão de participantes a cada edição. “O evento vem aumentando ano a ano e esperamos sempre fazer bons negócios”, completa Ambrosio, que comanda a empresa catarinense do setor de terceirização de segurança privada, limpeza e conservação, jardinagem, bombeiros industriais e serviços fundada em 1991. Atualmente, a Seguridade conta com mais de 2 mil colaboradores, atuando nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Bahia e Rio de Janeiro.

Lyceum apresentará soluções para IES no XII FinancIES

Apresentar ferramentas estratégicas aos gestores financeiros, como soluções especializadas em educação, gestão de pessoas, saúde e tecnologia, além do sistema de gestão educacional Lyceum, é a proposta da Techne, durante o XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES), de 20 a 22 de novembro, na Pontifícia Universidade Católica (PUCPR), em Curitiba.

Segundo o diretor da Divisão de Educação do Lyceum, Fabio Cespi, participar do evento como patrocinador é um marco relevante, que proporcionará repercussão positiva para o mercado. “A expectativa é atuar junto a um público ainda não atendido por nossas soluções, os gestores financeiros das IES. O foco do Lyceum é sempre ligado à alta gestão e à implementação de controles e processos que tragam mais economia e competitividade aos nossos clientes”, explica Cespi.

O diretor destaca que por conta da política de tornar o sistema cada dia mais completo, a empresa se uniu à SAP a fim de oferecer “uma solução imbatível” para gestão de instituições de ensino. “Dessa forma, nosso cliente pode descartar seu ERP e ter acesso ao melhor sistema de gestão empresarial existente para o segmento de educação. Com isso, buscamos levar mais ferramentas de gestão, fazendo com que obtenham melhores resultados”, completa Cespi, acrescentando que a empresa estará com estande no evento e fará campanha entre os participantes por meio de email marketing.

Educa+Brasil e Creduc divulgam plataformas de captação de alunos e gestão no XII FinancIES

A oportunidade de interação com os gestores educacionais da área financeira inclui o Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES) na agenda anual do Grupo Edu, responsável pelas plataformas Educa+ Brasil (captação de alunos) e Creduc (gestão), patrocinadoras da 12ª edição do evento, que acontecerá de 20 a 22 de novembro, na Pontifícia Universidade Católica (PUCPR), em Curitiba.

“Patrocinar o FinancIES é oportunizar a interação entre os gestores educacionais da área financeira. Com isso ocorre a troca das boas práticas utilizadas pelas instituições, quer por mudanças de procedimentos ou de processos, o que inclui o depoimento sobre as parcerias que deram/dão suporte a estas mudanças”, explica a diretora financeira Ligia Pimenta.

No estande da empresa durante o evento, haverá uma equipe disponível e preparada para trocar ideias e informar sobre o perfil do aluno que busca parcelamento próprio. “O objetivo é auxiliar a instituição de ensino na implantação do seu parcelamento próprio mediante cessão de uso gratuita de uma plataforma de gestão, que pode ser integrada aos sistemas operacional, financeiro e/ou gerencial que a instituição utiliza”, completa Ligia.

A empresa já participou de várias outras edições do evento. “Isso nos proporcionou aprendizado para ofertar as soluções que os gestores necessitam, além de estarmos próximos de nossos clientes e estreitarmos laços com os prospects”, avalia.

O Grupo Edu nasceu em 203, tendo como DNA fortalecer o setor educacional, criando soluções voltadas ao aumento da base de alunos das IES e, consequentemente, ampliação do faturamento. “Os serviços disponibilizados pelo Grupo Edu, para o setor educacional, têm por finalidade auxiliar na captação de novos alunos, quer através da concessão de bolsas ou de parcelamento estudantil, e para isto dispõe de plataformas de captação de alunos que orientam o candidato que deseja estudar em conformidade com as ofertas dos parceiros, como Educa+Brasil, Mais Bolsas e Parcelamento Estudantil”, enfatiza Ligia.

Em 2017, para aumentar o ticket médio das mensalidades dos calouros e auxiliar na retenção dos veteranos, o grupo lançou a plataforma de gestão Creduc. “Com ela, a IES pode implantar seu parcelamento próprio, contando com o nosso apoio neste processo e sem nenhum custo. A cessão de uso e customização da plataforma é gratuita e ainda dispomos de parceria com fundo de investimento caso queiram antecipar os recebíveis do parcelamento estudantil”, acrescenta a diretora financeira.

Magoga Solar revela novo conceito de energia solar no XII FinancIES

Apresentar a UNAS, novo conceito de implantação e utilização da tecnologia a fim de inovar na viabilização da energia solar fotovoltaica para as instituições de ensino superior, sem a necessidade de investimento extra ou financiamento, é o objetivo da Magoga, empresa especializada no fornecimento de equipamentos neste setor e uma das patrocinadoras do XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES). O evento acontecerá de 20 a 22 de novembro, na Pontifícia Universidade Católica (PUCPR), em Curitiba. As inscrições estão abertas, com vagas limitadas.

“O FinancIES é um fórum que já se consolidou no segmento de instituições de ensino privadas do Brasil e, por este motivo, vimos a necessidade e a importância de participarmos como patrocinadores desse evento para ter oportunidade de ampliarmos nosso relacionamento e divulgar a UNAS, que foi desenvolvida justamente para atender estas instituições, estimulando desta forma novos negócios e o fortalecimento da UNAS, da Magoga Solar e dos nossos serviços”, aposta o diretor de Operações da empresa, Hélerson Balmant.

Durante o evento, a empresa irá apresentar a UNAS, projeto desenvolvido pela Magoga Solar para viabilizar a tecnologia em IES, com investidores do Exterior, além de seus benefícios. “Também estaremos com nossa equipe no estande para recepcionar os convidados e participantes do evento e divulgarmos o nosso trabalho com mais detalhes, esclarecendo dúvidas também sobre a tecnologia e como ela irá atender estas instituições”, completa Balmant.

Segundo ele, as expectativas para o Fórum são bastante positivas. “Esta é nossa primeira participação de muitas outras que virão, porque sabemos da importância do FinancIEs para a Magoga Solar e a UNAS. Teremos a oportunidade de nos reunir com os executivos financeiros e CEOS de instituições de ensino privadas de todo o Brasil e estes profissionais sabem o quanto é importante usufruir de uma tecnologia como essa sem a necessidade de investimento extra ou financiamento e, principalmente, o que poderá ser agregado às instituições e aos cursos diretamente a ela ligados”, conclui o diretor de Operações.

Weber apresenta projetos inovadores no XII FinancIES

Apresentar os projetos ‘A Casa do FinancIES’, com temática voltada à educação e exclusivamente para reitores, professores universitários e demais profissionais da área, e ‘Ambientes Universitários Weber’ é a proposta da empresa Weber Empreendimentos, patrocinadora do XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES). O evento está marcado para 20 a 22 de novembro, na Pontifícia Universidade Católica (PUCPR), em Curitiba. As inscrições estão abertas, com vagas limitadas.

“O principal objetivo é apresentar o nosso case para um grande número de pessoas formadoras de opinião e tomadoras de decisão. Poder ter acesso ao PIB das universidades, às pessoas que decidem e fazem a educação superior no Brasil, participar do FinancIES é de extrema importância para a Weber Empreendimentos, pois nossos maiores projetos têm profunda ligação com a educação. A expectativa é a melhor possível, pois estaremos alinhando a nossa marca às pessoas que são referência em educação superior no Brasil”, aposta o diretor-executivo Fernando Weber.

No FinancIES, a equipe fará uma apresentação de 15 minutos e estará com estande no local para mostrar os projetos e empreendimentos com foco na educação, caso dos ‘Ambientes Universitários Weber’. “Ao todo são 10. Atualmente, temos o UniShopping, onde está instalada uma unidade da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), em Braço do Norte, sede da Weber; oito Polos Universitários da Estácio; e um campus universitário idealizado para abrigar a Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), em Araranguá, a primeira unidade da Unesc fora da sua sede, em Criciúma”, conta Weber.

A empresa também ira apresentar a ‘Casa do FinancIES’, que integra o projeto Casas Holidays, executada dentro do condomínio Altos da Serra, em Bom Jardim da Serra, na Serra do Rio do Rastro, um dos maiores cartões postais de Santa Catarina. “As Casas Holidays são multipropriedades (residência compartilhadas), onde cada proprietário adquire uma cota e pode usufruir de tudo o que a serra catarinense e o condomínio Altos da Serra oferecem”, completa o diretor-executivo.

Quero Educação divulga plataforma educacional no XII FinancIES

A tecnologia oferecida pela principal plataforma de serviços para o mercado educacional da América Latina será apresentada pelo CEO da Quero Educação, André Narciso, aos participantes do XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES), marcado para 20 a 22 de novembro, na Pontifícia Universidade Católica (PUCPR), em Curitiba.

Fundada em 2012 pelos sócios Bernardo Pádua, Lucas Gomes e Renata Rebocho, a empresa é detentora do Quero Bolsa, marketplace que conecta milhões de estudantes a vagas ociosas em mais de 6 mil instituições de ensino parceiras e já matriculou 500 mil pessoas com descontos de até 70% em todo o país. Com foco em melhorar a performance de IES, também está à frente do Quero Pago - solução de pagamentos e retenção para o mercado de educação -, e do Quero Analytic - plataforma de inteligência de dados em tempo real.

Os serviços serão detalhados por Narciso, que é graduado em Engenharia Eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e foi estagiário no Massachusetts Institute of Technology (MIT), um dos centros de tecnologia mais importantes do mundo. Por cinco anos, ele atuou na consultoria global de gestão Bain & Company e teve passagem pelo Google, enquanto cursava MBA na London Business School. Iniciou a trajetória na Quero Educação em 2014, como CFO e, em 2018, liderou a criação do Quero Pago, solução de pagamento e retenção para o mercado da educação.

Sinepe/NOPR destaca educação empreendedora no XII FinancIES

A gestão empreendedora da educação, tema do XII Fórum dos Executivos Financeiros para as Instituições de Ensino Privadas do Brasil (FinancIES), que acontecerá de 20 a 22 de novembro na Pontifícia Universidade Católica (PUCPR), em Curitiba, é destacada pelo Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Noroeste do Estado do Paraná (Sinepe/NOPR) como imprescindível para um mercado em constante mudança.

“Um dos pilares do Sinepe/NOPR é proporcionar o aperfeiçoamento dos profissionais que, direta ou indiretamente, atuam no campo da educação. Desta forma, participar do FinancIES é mais uma forma do Sinepe/NOPR proporcionar aos associados a imersão no que há de mais atual no mercado educacional. Queremos que eles tenham acesso a informações de ponta para que consigam, cada vez mais, atuarem com dinamismo, qualidade e potencializando a educação em todos os seus níveis. E sabemos que a gestão financeira das instituições é um grande desafio. Nessa perspectiva, se faz necessário o debate com um olhar empreendedor e visionário para que a administração educacional seja sustentável por meio das melhores práticas no que se refere à gestão financeira”, explica Wilson Matos Filho, presidente do Sinepe/NOPR na gestão 2019/2021.

Segundo ele, o objetivo do Sinepe/NOPR no FinancIES é ter uma participação com foco marcante em networking, aproveitando a oportunidade tanto para ser voz das instituições que representamos como, principalmente, buscar conhecimento e atuar de forma estratégica diante das transformações que o segmento educacional também vive. “Empregar os recursos de maneira eficaz e inovadora é fundamental para que as instituições cumpram sua missão genuína, que é fazer da educação de qualidade uma ferramenta de transformação de vidas”, destaca Matos Filho.

Ele acrescenta que entre os planos da nova diretoria, iniciada no último dia 18 de outubro, está fomentar a participação dos associados em eventos, congressos e demais ações que os aproxime ainda mais das agendas educacionais e das tendências de mercado. “No FinancIES precisamos fazer uma imersão no contexto da gestão financeira a fim de estimular as instituições para uma cultura empreendedora, inovadora e sustentável, por meio das palestras, com profissionais de expertise no assunto”, completa o presidente.

O Sinepe /NOPR foi criado com o propósito de proporcionar às classes patronais e laborais das diversas áreas de ensino do Noroeste do Paraná uma maior aproximação de seus interesses, de modo que essa integração pudesse fundir em um só objetivo: o ideal da atividade educacional, visando dar à educação um sentido real, que pairasse acima dos interesses das classes envolvidas no processo educativo.

Assim, além da atividade principal, que é a negociação coletiva, o Sinepe/NOPR, entendendo como sendo também seu papel, vem desenvolvendo uma série de eventos, todos voltados ao aperfeiçoamento dos profissionais no campo da educação, sempre com o único propósito de ser um potencializador da causa educacional.

Patrocinadores

Alves Benedito Advogados
ASV
Atmã Educar
Brand U
C6 Bank
Canvas
Cobrafix Cobranças Educacionais
Creduc
DDM Cobrança Educacional
Dominus
Educa+ Brasil
educainsights
EducationalPass
Escala
Fundacred
HMI
Hoper Educação
J. A. Rezende
Lyceum
Magoga Solar
Mannesoft
PraValer Crédito Universitário
QH Consult
Quero Educação
S7 Consulting
Seguridade Gestão Profissional de Serviços
Soluções Projetos Especiais
TECFY
Valid
Weber Empreendimentos

Apoiadores

ABIEE
ABMES - Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior
ABRUC - Associação Brasileira das Universidades Comunitárias
ACAFE - Associação Catarinense das Fundações Educacionais
Afeesmig
AMPESC - A Associação de Mantenedoras Particulares de Educação Superior de Santa Catarina
Anaceu - Associação Nacional dos Centros Universitários
ANEC - Associação Nacional de Educação Católica do Brasil
ANUP - Associação Nacional das Universidades Particulares
Comung
CRUB - Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras
Educfinance
FENEP - Federação Nacional das Escolas Particulares
SEMERJ - Sindicato das Entidades Mantenedoras dos Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado do Rio de Janeiro
SEMESG - Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Educação Superior do Estado de Goiás
SEMESP - Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo
SindiMan RS
Sinep/MG
SINEPE/CE
SINEPE/NOPR
SINEPE/SC -  Sindicato das Escolas Particulares do Estado de Santa Catarina

Instituição Anfitriã

PUC PR

Realização

Matiz Capacitação para Resultado